Bem-vindo

Venha e junte-se a nós

  • Simples para publicar
  • Rápido feedback
  • Compartilhe com o mundo
/

Ou logue usando:

Esqueceu a Senha?

Capítulos (2 de 7) 15 Jan, 2019

Neverus:cidade dos aventureiros

Neverus:cidade dos aventureiros

Andando sem informação alguma do proximo fragmento e cheio de pensamentos e frustações que não são suas,Atros vai para uma pequena cidade ao cair do anoitecer entra em um bar local,pessoas com faces fadigadas,tristes e cheias de raiva se encontram lá e encontra Elliz sentada em uma mesa vazia

[Elliz]:"Como vai sua trama heroi?vejo que conseguiu dar alguns passos mas sem mim não vai avançar muito certo?

[Atros]:"Ao que parecer "fazer muito de nada" é grande coisa pra você,quantos faltam pra acabar?...eu sei que vou me recuperar depois mas a sensação de dor é uma merda"

[Elliz]:"Alguns,alguns por ai mas não é como se nosso heroi não conseguisse,bem eu soube pela estrela que a ponta para o norte que nem todos vivem pra salvar a patria que nem você e precisam fazer as coisas por meros trocados"

Ela fala em quando inclina sua cabeça e aponta para a direita e dando um sorriso ,como se estivesse duvidando de sua inteligencia

[Atros]:"Esta falando da cidade dos aventureios,Inka?ela sempre foi o que é nos dias atuais,se ela teve ligação com a grande guerra foi apenas por contratar vagabundos?"

[Elliz]:"É e você viaja ainda hoje,não se preocupe pois ja paguei tudo meu amigo está ali sentado,alguns dos VAGABUNDOS DE INKA estão aqui então vocês vão embora assim que a luta acabar"

Ela aponta para tras e um dos bebados joga uma cadeira nas costas Atros,Elliz joga o copo de cerveja no bebado enquanto sai correndo"Boa sorte heroi".Ele.bate no bebado com o cabo da espada e chuta suas pernas para derruba-lo,todos no bar menos o barman e o "amigo" de Elliz entram na luta,ao fim ele esta sentado do lado do barman,olhando para o chão como pedido de desculpas.

[barman]:"você vai pagar por tudo?"

[Atros]:"sim"

[barman]:"vai sair bem caro"

[Atros]:"...sim...bem eu quero algo pra comer se não...for broblema algum"

Ele sai junto do guia enquanto na porta do bar estava o barman com cara de bravo estava contando o dinheiro.tentando controla o sorriso o guia fala

[Guia]:"você é bem riquinho garoto,além disso sabe lutar e tem aquela amiga estranha de companhian nem s e quer imagino o que você iria querer em uma cidade como Inka,se você me entende não um ponto pra turistas e alem de aventureiros...é talvez esteja indo atras de mercenarios,gente desse tipo faz qualquer coisa"

[Atros]:"Então você também não conhece aquela coisa?bem já imaginava isso o demonio me deu um objetivo e estou indo na cidade para encontra-lo talvez seja algo ou alguem,ou quem sabe estou indo apenas para vagar enquanto gasto cada centavo que me resta"

[guia]:"hmpf duvido muito disso pela sua expressão você não tem dormido a dias,deve ser algo muito importante para você pra continuar com isso mas se permanecer com essa ideia não vai durar muito"

O guia parece um homem de meia idade seus cabelos pretos longos com algumas mechas brancas,barba cortada com alguns fios brancos visiveis,roupa de couro e chapéu para se proteger contra o clima árido daquela cidade sem duvidas ele é um morador de lá.

[guia]:"Bem essa é minha carroça pode subir nela e tirar um cochilo até a chegada amanhã "

[Atros]:"Amanhã?você deve ter muita confiança no caminho que vai pegar pois a pé seriam 6 dias"

Atros sobe na carroça que parece simples mas é feita de metal e possui um teto feito de material que não parece pano,ele deita em uma cama que estava no lado esquerdo e no direito estava duas meninas,uma tinha a mesma idade dele e a outra era uma criança que estava sentada no colo dela.

[menina]:"Oh boa noite senhor"

A menina fala com os olhos meio sonolento enquanto acaricia os cabelos da criança.

[guia]:"Esqueci de avisar que minhas filhas também iriam na viajem,não precisa se preocurar com elas e também não crie tanta amizade com elas pois eu tenho um projetor de chumbo que gosta de resolver problemas"

[Atros]:"Heheh bem estou cansado demais para reclamar de alguma coisa ou mesmo se mover de onde estou"

[guia]:"Bem então vamos indo,vai ser uma boa e refrescante viajem"

O cavalo começa a correr em um ritimo mais acelerado a cada segundo,poeira começa a subir e a carroça a balançar se segurando na lateral da carroça Atros pergunta:"Que diabos é isso?é realmente um cavalo?"

[guia]:"Esqueci de avisar isso também mas meu cavalo não é tão normal,pelo menos ele vai conseguir correr sem se cansar e chegaremos lá bem mais rapido"

O cavalo era negro,sua crina vermelha com pelos grandes,pele que parecia estar solta,saia uma espuma amarela de sua boca que estava bastante aberta e seus olhos estavam completamente brancos.

[Atros]:"Como conseguiu isso?é um cavalo zumbi né?pensei que fossem extremamente raros"

[Guia]:"Achar uma necromante que ressucitasse um cavalo foi dificil e caro mas nada melhor do que ver o gael fazendo o que gosta"

[menina]:"Não acha isso bonito senhor,mesmo depois de morto ele ainda busca seu objetivo de correr,é lindo ver que seu amor por algo fez com que ele ultrapassasse a linha entre vida e morte...(borcejo)...eu acho que vou dormir também"

A menina se deita também sobre o lado direito da carroça enquando ela balança parencendo que vai quebrar a qualquer momento

[Guia]:"Não se preocupe não há risco da carroça quebrar ou o cavalo perder o controle,pode ter seu soninho de beleza até lá"

Atros está segurando firme nas laterais da carroça enquanto faz uma expressão de medo e foi isso até chegar a cidade.

Ele finalmente conseguiu dormir mas com as mãos bem seguras as laterais da carroça,chegando na cidade presenciando o nascer do sol em um local com grandes casas quadriculadas feitas com a "argila amarela"do local,o centro da cidade é um grande ponto para comprar e vender mercadorias um alta quantidade de pessoas estão lá e parece que vieram de varios locais do mundo,até mesmo crianças carregam espadas e uma pequena taxa de pessoas usam armaduras feitas de materias estranhos.O guia para a carroça e com calma suas filhas,depois joga água em Atros

[guia]:"Se quiser informação sobre esse algo ou alguem que procura vá até a guilda local,lá é um poço de informações também é possivel contratar alguem,espero que encontre o que procura até lá tenha um bom dia"

[Atros]:"Claro,obrigado pela viajem e pela àgua,os dois estavam ótimos"

Chegando no meio da cidade ele econtra varios mercadores com artefatos comuns e armas e armaduras que não são mais do que parecem"usando apenas pano rapaz?você tem uma boa espada em sua cintura mas sem uma armadura não poderá fazer muita coisa"diz um mercante com um sorriso implorando pra comprar algo

[Atros]:"Aqui é possivel comprar armas de fogo?"

[mercante]:"Isso é uma coisa rara de se ouvir pois aventureiros normalmente pedem espadas ou arcos...bem armas de fogo também são boas"

Pelo pequeno conjunto de informações armas de fogo só são usaveis em luta contra humanos,coisa que não acontece com frequencia até mesmo pode ser impedido por uma armadura de ferro e elmo de bom metal,vai sentir o impacto mas a cabeça não irá voar pelos ares e contra monstros:elas não tem função contra mortos-vivos,goblins estão em alta quantidade e antes de uma recarga pode ser o fim da linha,slimes são os preferidos de aventureiros pois sua "gosma" pode ser diluida e transformada em medicamentos,ou até mesmo composto para misturar na polvora pra canhões.É improvavel pra dragões e complicada pra ser usada contra bestas marinhas,apenas o exercito faz maior uso atualmente,Compra-las sem uma "benção de mago" é tolice essas bençãos costumam ser usadas em armas de corte e impacto,por algum motivo as pessoas ficam espantadas ao ver alguem fazendo conjuração sobre balas,ao todo foram feitas 3 tipos:fogo,onde de choque e circulo de proteção.

Depois do quipamento Atros vai para a guilda e o local esta cheio de aventureiro conversando sobre suas missões e suas historias sem nexo"era uma quimera especial ela tinha pela de dragão mas após a luta demorar por uma hora depois que eu fiz um corte com uma arma envenenada ela morreu"dizia um em seu grupo,todos riam e ao ver Atros indo até a recepção com sua arma de fogo que tinha o tamanho de sua espada todos começaram falar entre si por quanto tempo de aventureiro ele iria sobreviver.

[Recepcionista]:"Ola senhor se quiser fazer o cartão de aventureiro tem que ir na sala a direita"

[Atros]:"Na verdade eu quero a lista de morte de aventureiros durante a grande guerra"

[Recepcionista]:"Isso não é algo tão facil mas se quiser tentar vá para a biblioteca no segundo andar,talvez tenha o nome de quem procura"

Subindo as escadas e entrando na bilioteca ele começa a procurar pelas datas de acontecimentos,quase todos os recrutamentos de aventureiros foi para proteção ou linha de frente junto com exercitos vizinhos,o problema foi tão grande que qualquer um podia participar,em meio a essa lista exite um grupo de aventureiros que não foram mortos no campo de batalha e sim postos como desaparecidos nessa onda da guerra,faz alguns seculos e o local pode nem existir mais.

Mas mesmo após ler os livros até o anoitecer e encontrar apenas isso que aconteceu perto do local da fisura.Uma velha"masmorra"tão explorada que todos os pontos já foram descobertos,armadilhas já estão desarmadas e enferrujadas e alguns monstros habitam lá pois ninguem vai pela falta de objetivos.

Atros entra e tenta procurar por informações dentro da masmorra,tudo esta vazio e aquele lugar já foi tão analisado que a guilda o entregou um mapa do local,o unico lugar inexplorado é um buraco no canto da parede pois os ultimos que tentaram explorar para ganhar um bonus da guilda não retornaram.Ele pega uma quantidade de trapos que estavam vestidas em esqueletos de humanos e amarra em uma pedra e os queima e os joga no buraco para ver se o fundo era visivel,rapidamente ele nota que o fogo se apagou e a havia àgua lá em baixo,ele pega dois galhos firmes e começa a usa-los para descer lentamente.

No meio do caminho os galhos quebram e ele cai na àgua que era semi-rasa,nenhum osso foi machucado mas o caminho de volta está perdido,indo em frente o caminho fica cada vez mais escuro e fétido fazendo com que o ar do local se torne estranho e mais denso enquanto caminha ele vai tocando nas rochas pra saber que esta indo pra frente,mas logo ele nota que as rochas parecem mais macias e quentes mesmo estando umidas,sem poder acender a tocha porque o material foi molhado ele resolve dar um tiro com benção de fogo sobre aquela parede quando começa a queimar ele mota que aquela parede era vermelha e nela havia olhos e bocas,algo tenta agarra-lo pelo pé ele corta com a espada,varios braços enormes e magros estão surgindo de casa lugar da parede e chão e fecham o caminho de volta,ele vai correndo em linha reta para encontrar alguma saida e vê um tentaculo gigante feito de braços longos sem pele em sua ponta possui varios olhos e uma unica boca invertida para cima com com varios tumores amarelos na ponta do tentaculo"Aarr maiss comida,essstou faminto entregue-sssee a mim"

[Atros]:"Já estava com medo de não poder conversar com ninguem,talvez você seja quem eu procuro pode ter ficado muito mais feio mas talvez alguns e renacimentos pós morte não resolva"

"Euu sou o rei disso aqui então vocÊêe me obdecCe,Nãa passa de alimento no fiIiim você não passa de lixxo que só sserve de alimento pra terra e é essa terra é minha Então é meu alimento também"

[Atros]:"Finalmente te achei,agora tenho mais que certeza sobre você bem se não fosse tão tragico você poderia ter se livrado desses que acorrentam você,todos esses braços e olhos não são seus,eles te usam pra se manterem vivos,bem vamos começar"

Varios braços saem do chão em direção a Atros que tenta correr em direção ao monstro,os braços são faceis de cortas mas são em altas quantidade deixando quase impossivel de chegar perto de sua parte central,após um serie de esquivas uma mão o derruba outras começam a segurar o corpo dele enquanto o forçam contra o chão que começa a suga-lo

Como unica saida ele da um tiro de fogo onde ele mesmo é afetado mas começa a rolar no sangue do monstro

"Coomidaa...lutarr?"

Atros se com sangue dele e do monstro pingando no chão enquanto fala"é isso mesmo" e seu braço afetado pela area de dano da bala está tremendo,ele começa a correr em direção ao monstro novamente e agora ele revida jogando o priprio liquido amarelo que é capaz de corroer o proprio piso,vendo isso como uma chance Atros atira no chão machucado pelo monstro com a bala de choque fazendo com que ele gritasse,e ele avançasse para seu nucleo mas ao atacar com a espada ela faz um corte superficial e se quebra,todos os braços do monstro que foram cortados possuiam tecidos comuns como musculos e ossos o que acabou com o fio da espada.O monstro revida usando seu tentaculo como chicote o que derruba Atros no chão começa a jogar o acido por toda a area acertando uma perna dele e que começa ficar com mais raiva fazendo com que a parede de carne se desfarça e se transforme em outro tentaculo,mesmo com o fio da lamina ruim Atros tenta corta-lo mas não consegue,o monstro faz com que a parede e o teto virassem os ultimos tentaculo a parede que estava atras dele o segura pelo pescoço enquanto o monstro nucleo encostava nele "Coomidarr NnãoO luuTaA,VUuCêE NnâOo Ée NadaA além Dee huMaNno,NnãAo podDe fFfdAzer nAndaan"

Ao encostar com a cara de Atros ele da o ultimo tiro de chama no monstro que começa a aperta ainda mais o pescoço de Atros e mesmo sendo precionado ele recarrega e da o ultimo tiro no monstro,a bala de escudo de proteção que faz com que ele não possa coça a "cara" para apagar as chamas,logo a luta fica entre quem vai ceder primeiro e vendo que tinha mais chance de perder Atros começa a tentar cortar os braços com o pedaço de espada,o monstro grita enquanto isso,Atros cai no chão e o monstro começa a secar.

[Atros]:"CoF Cogff cof...Ah ah...Eu ganhei Cof...então"

O monstro vira cinzas e um garoto aparece onde estava o nucleo monstro

[Atros]:"Viu só eu disse que você poderia melhorar mas ainda precisa renascer algumas vezes até ficar bonito"

[garoto]:"Um humano conseguiu?hmm ao que parece era eu que não conseguia fazer o suficiente,acho que coloquei a culpa nas coisas em vez de me culpar-"

O garoto some e o fragmento aparece,ao pega-lo a masmorra começa a desabar e quando termina parece uma grande escadaria mal feita mas que Atros usa para sair daquele lugar.

Compartilhar: