Bem-vindo

Venha e junte-se a nós

  • Simples para publicar
  • Rápido feedback
  • Compartilhe com o mundo
/

Ou logue usando:

Esqueceu a Senha?

Capítulos (1 de 1) 02 May, 2018

Céu cinzento


Josef é apenas mais um garoto normal que trabalha mais de 12 horas por dia na fábrica que geralmente eram quentes, úmidas, sujas e escuras, mas Josef não estava sozinho na fábrica. Havia também sua mãe Elisabeth e seu pai Isaac, o seu irmão mais velho trabalhava limpando chaminés. No início, Josef não via muito problema em trabalhar naquele lugar, mesmo sendo muito cansativo ele suportava tudo pela sua família, mas tudo isso mudou quando ele viu a criança que trabalhar com ele morrer de exaustão na sua frente. Josef ficou chocado com a forma que o chefe da fábrica lidou com a morte do garoto. Era como se não fosse nada além de um atraso para a produção ele nem se quer liberou os pais da criança para levarem o filho embora, eles tiveram que enrolar o filho num pano para quando o serviço acaba-se pudessem enterrar o filho.

Que tipo de monstro faz uma coisa dessas? Mas não a nada que possamos fazer além de continuar trabalho. Final do expediente hora de voltar para casa, chegando lá meu irmão já estava deitando no beliche de baixo. Minha mãe mandou que eu o chamasse para jantar

- Ei Henry, hora de jantar.

- cof cof já estou indo.

- você está bem?

- sim.

- o que foi Henry? Você parece muito cansado - pergunto meu pai

- não é nada cof cof cof.

O meu irmão começou a tossir sangue

- precisamos ir ao hospital

- cof não, não é necessário. Eu já fui ao médico ele disse que se trata de uma tuberculose é uma doença muito séria, mas já existe um tratamento para ela, porém é muito caro.0

- Henry a partir de amanhã você ira ficar em casa e não vai mais trabalhar, eu vou arranjar o dinheiro para o seu tratamento

- Eu não posso pai eu já percebi que o senhor também está doente, o senhor está comendo com a mão esquerda sendo que o senhor não é canhoto, a sua mão não para de tremer, eu perguntei ao médico e ele me disse que isso acontecer ao executar uma ação por muito tempo sem descanso.

- A vida na fábrica é um inferno. O senhor, a mamãe e o Josef trabalham muitas horas por dia para ganhar um salário minúsculo, a forma como o senhor trabalhava mudou com a chegada das máquinas a vapor, mas também trouxe o capitalismo. Às pessoas visam o lucro em cima do bem esta dos seus trabalhadores eu vejo isso muito quando vou trabalhar para algum ricaso.

- Eu vou trabalhar por mais 2 meses esse é o tempo que eu preciso para juntar o dinheiro para o tratamento da tuberculose e da sua doença

Meu pai sabia que não adiantaria dizer não ao meu irmão então aceitou a sua proposta. Após o jantar eu fui direto para a cama estava muito cansado me acordei cedo para ajudar a mamãe a preparar o jantar, sei que o meu pai não olha com bons olhos essa atitude, mas eu gosto de ajudar sempre que possível .

O meu irmão já tinha saído para trabalhar, ele está se esforçando demais só espero que isso não afete a doença dele. Indo para o trabalho acabo encontrando 2 bilhetes para o cinemas jogados no chão e para a minha surpresa eles ainda serviam era para ver um filme chamado ‘’tempos modernos’’ que será lançado nesse domingo em um cinema perto do meu bairro. Que pena, hoje é segunda-feira.

Chegando ao trabalho eu vejo o chefe dando uma bronca no operário por ele não ter comprido as 12 horas de trabalho, ele havia trabalhado ‘’apenas’’ 10 horas e manda o operário embora. ‘’Se um operário não pode cumprir o seu expediente então ele não apto para trabalhar aqui’’, esse era um dos bordões do chefe fora isso o resto do dia foi tranquilo. Ufa, finalmente voltando para casa, falta apenas 6 dias para eu ir ao cinema. Terça-feira o chefe aumentou o ritmo do trabalho, muitas crianças que trabalham comigo não conseguiam manter o ritmo e foram demitidas, outras faziam de tudo para acompanhar o ritmo. Parece que o mundo conspira para que essa semana seja horrível, porém eu não me entregarei tão fácil.

Quarta-feira as crianças estavam com uma cara mais cansada do que o normal por causa do ritmo acelerado que o chefe implantou, as crianças que foram demitidas estavam implorando os seus empregos de volta e o Chefe deu uma segunda chance para elas, uma coisa muito incomum vindo do chefe. As crianças foram contratadas de volta, mas com uma condição: os seus salários serão cortados pela metade, o que é um absurdo. O salário já curto demais a metade dele seria quase nada, realmente não a nada que o chefe faça sem visar o lucro.

Quinta-feira, finalmente outro dia tranquilo sem demissões e sem problemas, até o almoço. O chefe reduziu o tempo de almoço além de ter feitos pratos mais ‘’saudáveis’’, claro que tudo não passava de um plano para cortar custo com alimentação, dava para sentir a raiva nós olhos dos operários só que ninguém tinha coragem para reclamar com o chefe todos tinham medo de perde o emprego. Sexta-feira a nova alimentação dos operários causo efeitos rápidos, eles já comiam uma sopa que mais parecia água com tinta em casa, pelo menos podiam comer algo mais nutritivo no trabalho, agora nem mesmo isso eles podem ter, mas dessa vez um operário se rebelou contra o chefe.

-NÃO PODEMOS CONTINUAR COMENDO ISSO, NÃO PODEMOS MAIS TRABALHAR NESSAS CONDIÇÕES TEMOS QUE MUDAR ISSO - o operário gritou com todo o seu coração para que todos pudessem ouvi-lo.

-TEMOS QUE NOS UNIR, NÃO PODEMOS TER MEDO DO CHEFE ELE NÃO QUER O NOSSO BEM. PARA ELE NÓS NÃO PASSAMOS DE MÁQUINAS PARA DAR DINHEIRO A ELE.

Foi um lindo discurso pena que ninguém teve coragem de apoia-lo, o chefe o mandou embora obviamente. Será que algum dia surgirá outro cara como esse disposto a bater de frente contra o chefe? Sábado, falta apenas um dia para eu ir ao cinema estou muito ansioso, eu nunca tinha ido a um cinema antes. O dia demorou a acabar, parece até que quanto mais ansioso eu ficava mais o dia demorava em passar.

-Está ansioso para amanhã Henry?

- Claro que estou, você teve muita sorte ao achar esse bilhetes Josef.

- Hehe sim.

-Josef da uma olhada naquela caixa em cima do guarda roupa

-Isso é

-sim é um presente, feliz aniversário

- achou que a gente ia esquecer o seu aniversário?

Minha mãe trouxe um bolo pequeninho com uma vela.

- Josef tome esse dinheiro é para você levar comprar pipoca no cinema

- Obrigado pai.

- Eu estou muito feliz, eu tenho a melhor família do mundo.

Domingo finalmente eu e o Henry saímos cedo de casa, pois o cinema fica em outro bairro. Chegando lá os olhares maldosos começaram a aparecer, ‘’ porque tem 2 garotos de rua aqui’’ era o que passava na cabeça dos ricos que olhavam para a gente. De fato não era normal ver pessoas pobres indo ao cinema. A moça da bilheteria não queria deixa a gente entrar, ela falava que nós tínhamos roubado aqueles bilhetes.

- o que esta acontecendo aqui? - perguntou um homem de bigode engraçado

-Esses moleques estavam querendo entrar com bilhetes roubados

- Isso não é verdade o meu irmão encontrou esse bilhetes no caminho para o trabalho

- Vamos fazer assim eu pago o bilhete desses dois.

- Mas por quê?

- Eu quero que todos possam ver o meu filme.

- Garotos, me desculpem por isso, a sociedade esta muito dividida infelizmente, os ricos vêm vocês como inferiores a eles sendo que quem sustenta a vida boa deles são vocês, venham cá eu vou comprar pipoca e refrigerante para vocês.

As palavras daquele homem foram muito profundas, eu gostaria que existissem mais pessoas que pensassem do mesmo jeito que ele.

O filme começou e meu deus o cara que pagou os nossos bilhetes é o ator desse filme, o homem de bigode esta fazendo o papel de um operário e esta mostrando como é a vida na fábrica de uma forma engraçada. Eu achei incrível o filme, tudo que esta passando na tela está presente no meu dia a dia na fábrica: o pouco tempo de descanso, o lugar quente e sujo, um chefe que só liga para o lucro e nada mais. A melhor cena é aquele que ele é ‘’engolido pela máquina’’, foi um dia incrível, chegamos em casa na hora de dormir eu nunca vou esquecer esse dia.

Ahhh, segunda-feira começa a mesma rotina novamente, o chefe disse na hora de almoço que aumentaria a carga de trabalho de 12 horas para 16 horas, todos estavam com um olhar vazio como se estivessem quebrados, quando estávamos perto de sair um policial vem até nos com a seguinte noticia.

- O seu filho Henry foi acusado de ter roubado uma herança da família do Sr. Belmont.

- Pai nós temos que ir ver ele!

- Acalme-se Josef, falta uma hora para terminar o expediente, não adiantaria nada irmos agora.

Eu não tive outra escolha a não ser esperar.

- Ah meu filho, por que você fez isso?

- Pai o senhor não acredita em mim? O senhor acha mesmo que eu roubaria alguém?

-Filho pode confessar eu não vou te expulsar de casa.

- Pai esse é o meu irmão o seu filho aquele que esta trabalhando duro para arranjar o dinheiro para o seu tratamento.

- Por isso mesmo Josef aonde mais ele arranjaria esse dinheiro todo

- Pai ...cof cof cof

O meu irmão começou a tossir forte como antes.

- Guardas vocês precisam levar o meu irmão para um hospital ele tem tuberculose e fica aqui só vai piorar a situação dele.

- Isso não passar de uma gripe logo ele ira melhorar se ele não morreu ate hoje limpando chaminés não vai ser agora que ele vai pro outro mundo.

O erro do guarda custou a vida do meu irmão, a última coisa que ele iria lembra é que seu próprio pai não acreditou na sua inocência. É tão triste ver o meu irmão sendo enterrado. E agora, com quem eu irei ao cinema? Outra vez a vida não é nem um pouco justa com os fracos.

15 anos depois

Pouca coisa mudou nesse tempo agora eu trabalho junto com o meu pai, movimentos revolucionários começaram a surgir atrás de melhorias na forma de trabalho, eu fui convidado para participar de um movimento que esta surgindo na minha fábrica. O movimento se chamava Ludismo, eles acreditavam que as máquinas eram responsáveis pelo desemprego e as péssimas condições de trabalho, eu não podia ficar parado e deixar tudo ser destruído sendo que não ajudaria em nada.

- Com licença será que eu poderia falar por um momento?

-Mas é claro

- É desculpe minhas palavras, mas isso é burrice os ricos vão arrumar as máquinas de novo e vocês iram voltar a trabalhar naquelas péssimas condições novamente, eu já vi isso acontecer quando era criança

- E o que você sugerir então?

- Bom

Quem diria, eles me escutaram, nós chegamos a conclusão de que o problema não estava nas fábricas, nem nas máquinas, e sim na forma como a Burguesia organizou os meios de produção. Foi então que decidimos fazer uma grave e como nosso movimento era em massa o chefe da fábrica não teve outra escolha a não ser aceitar as nossas exigências, mas não só isso. Obrigamos ele a assinar um documento com as exigências dos trabalhadores que mais tarde seriam conhecido como os direto do trabalhador. O chefe sem escolha teve que aceitar os nossos termos, era isso ou demitir todo mundo, o que sairia mais caro, porque eles retornariam para destruir as máquinas. Essa foi uma grande conquista para a classe trabalhadora. Josef compartilhou a sua vitória com outros movimentos, mas isso não agradou nem um pouco a Burguesia que teve a sua autoridade desafiada. Foi então que armaram uma emboscada para Josef. Enquanto ele viajava para uma cidade ao norte da Inglaterra o seu carro foi cercado e alvejado de balas o seu motorista morreu na hora e Josef ficou agonizando, mas antes que os seus assassinos pudessem acabar com ele surgiu um grupo de homens que o salvou, um desses homens provavelmente o líder dirige-se ate Josef.

- Quem é você e porque me salvo?

- Fique tranquilo Josef, eu estou do seu lado, não poderia deixa um homem como você morrer aqui, há muita coisa que você precisa fazer.

- Quanto a quem sou pode me chamar de Marx

Fim 

Compartilhar: