Bem-vindo!

Vamos juntos compartilhar mundos.

  • Simples para publicar
  • Rápido feedback
  • Compartilhe com o mundo
/

Ou logue usando:

Esqueceu a Senha?

Capítulos (1 de 1) 13 May, 2023

Capítulo 01: Bem Vindo a Cidade Luz

Estamos em Uma Noite clara iluminada pela lua, nas Ruínas de uma Espécia de cidade com as Construções em decadência, do lado de fora de algo que parece um grande coliseu, gigantesco porem todo destruído e em ruínas.

E la uma Mulher com o rosto escondido Por Um Capuz corre Com algo Nos Braços, encolado em um cachecol esverdeado.

Enquanto dois seres alados Lutam ao Fundo.

— Eu tenho que ser Rápida., Tenho Pouco Tempo para Chegar ao Portal— Pensa a Mulher enquanto Foge para Longe daquela Feroz Batalha.

— Não Se PREOCUPE, EU COM CERTEZA IREI SALVA-LO!—

Então, entre algumas Árvores a beira de uma estrada comum um portal arredondado, feito de uma energia azul-claro, se abre e a estranha Mulher sai dele toda Machucada e perdendo muito sangue. Cambaleando ela se escora em Uma Placa que diz.

     "Bem-vindo A CIDADE LUZ. Principal nome em energia limpa... População 47.194."

Ela Caminha Por algum tempo ainda segurando firme algo nos braços. Até Se deparar com Uma Casa Grande e Bonita.

— Certamente aqui ele terá uma boa vida.— Pensa a mulher com uma expressão triste em seu rosto.

Ainda com o capuz pode-se notar uma pele bem clara com um pouco de seu cabelo, vermelho como fogo caindo em seu rosto.

E seus olhos, que também como seu cabelo tem uma coloração avermelhada, estão começando a marejar. Assim ela retira o cachecol e vemos que ela carregava um bebê que assim como ela possui uma pele clara e pequenos fios de cabelo vermelhos.

— Eu não tenho tempo, meu filho. Ele ainda está atrás de Mim.— Sussurra a Mulher já com a voz trêmula e um pouco rouca. —Mais saiba que eu te amo mais do que tudo, deixá-lo é como arrancar meu próprio Coração.         Mais eu não tenho escolha, e eu volto para te buscar assim que você estiver seguro, eu te juro isso.— E ssim ela vai embora deixando o bebe na porta daquela casa grande e luxuosa.

 Alguns Minutos se passam, e enquanto o bebe chora, Uma Mulher abre a Porta e vê a Criança. — Olha, amor tem Uma Criança Na Nossa Porta.—

—Traga-o para dentro— Responde uma voz masculina de dentro da casa.

— Nos Vamos Ficar com ele?— a mulher pergunta entusiasmada.

Mas gargalhando o Homem a responde. — Você esta Louca Mulher, isso não é um Filme. Vamos Ligar Para a polícia.—

Apos um tempo um carro de polícia Chega na de um Orfanato com uma placa, antiga e um pouco gasta, em cima do portão que dizia.

          "Bem-vindo ao Orfanato Santa Fé."

— Nós temos que Deixar o menino aqui Mesmo? Essa Mansão me assustava Muito quando eu era criança.— Questiona a jovem policial enquanto saia do carro.

— Esse é o Único orfanato que existe nesse Fim de mundo. Então Sim! Temos que Deixá-lo aqui.— Responde o outro policial.—Mais é estranho em uma cidade pequena como essa abandonarem um bebe assim.—

— Ainda mais uma coisinha linda como essa— A mulher o interrompe fazendo uma voz fofa para a criança.

Ao subir as escadarias, o policial Bate na Porta e uma Senhora atende, com um semblante calmo, algumas rugas em seu rosto, cabelos curtos e cinzas e com um vestido banco longo e simples.

— Esse garoto foi abandonado ontem a noite madre Caterine. Então viemos deixá-lo aqui, tudo bem?—

— Por que teria algum Problema— A senhora o responde enquanto pega o pequeno bebe no colo.

E enquanto leva o garoto para dentro percebe que no Cachecol que o menino está enrolado, está escrito Meu pequeno Jack.                             — Jack, Então esse é seu nome., Pequeno Jack.— Com a voz baixa e um leve sorriso em seu rosto.

Assim 8 anos se passam e Jack esta correndo de uma Freira que tenta alcançá-lo.

— Volte aqui moleque. Está de castigo por encher a cama da madre de sapos.—

Mas após gargalhar, Jack responde. — Você vai ter que me pegar primeiro irmã. E como sabe você sempre foi lenta demais para me pegar.—  E gargalhando Jack começa a desaparecer da vista da jovem irma.

Alguns Minutos depois, após perder Jack de vista, a irmã escuta um alarme.

       ""ALERTA Toque de recolher em atividade. Possível demônio nas ruas, fiquem em casa até os paladinos lidarem com a situação. Não saiam para as ruas.""

— Logo agora aquele moleque decide desaparecer, onde você foi se enfiar garoto.— Ela se questiona com um rosto preocupado.

E enquanto corre entre algumas ruas ali perto do orfanato.

— Consegui despistar ela, A Irmã realmente nunca consegue me pegar fácil. Ha Ha Ha.— Pensa o garoto logo antes de se deparar com uma grande janela de vidro.

E ao olhar para dentro ele vê um Homem Treinando, Alto com a cabeça raspando dos lados e atrás, porem com o cabelo espetado em cima. Uma barba comprida e trançada. Jack não via as roupas do homem direito, mas pareciam bem estilosas. 

— Que incrível, será que eu consigo fazer isso também.— O menino se questiona, com um brilho nos olhos, enquanto vê o Homem praticar.

Logo ele não se contem e entra correndo na academia.

E no meio do treino O velho mestre escuta Uma Voz:

—Ei VELHOTE!!  Você tem que Me ensinar isso também.—Afirma Jack com um Enorme Sorriso no resto.

— Por que eu faria Isso Moleque.— Responde o Homem com uma Voz debochada.

E enquanto se aproxima, Jack o fala                  —UE. Porquê... Aaaa não importa, eu achei divertido e quero lutar Também. Então anda e me ensina Velhote.—

O outro garoto que estava na sala se aproxima com um rosto bem irritado.                                — Como Ousa Pirralho. Você sabe com quem está Falando.— Mas o Homem o interrompe ao levantar sua mão como um sinal para o menino.

— Tudo Bem Sebastian.— e ao se aproximar lentamente de Jack...

— Você não entende. Um confronto, uma Luta. Nada disso é para se divertir Garoto. Pessoas se machucam, pessoas morrem. Muitas vezes pessoas que você se importa.  Então vá embora e vá ser Uma criança Normal.—

Porem ao ouvir isso Jack se irrita e enquanto se aproxima grita ao Homem. — Você não Sabe Nada Velhote. Eu Não vou sair daqui enquanto Voc..... — Mais antes mesmo de Jack Conseguir terminar a Frase o homem com um impulso em alta velocidade agarra Jack, Que quando se da por conta já esta fora da academia. 

E com um Sorriso no rosto o Homem olha para o menino. — Vá Para Casa Garoto, e Tome Cuidado, Não viu o Alerta. Podem ter Demônios por aí.—

Voltando para o orfanato emburrado e chutando pedras pelo caminho

—Esse Velhote, Quem ele pensa Que é. Ele não sabe Nada sobre Mim.— enquanto continua chutando pequenas pedrinhas com raiva.

— "Uma Criança normal". Eu não sou normal, se eu fosse normal não teriam me abandonado.—

E de repente ele toma um susto com um grito auto que ouvi ao fundo.  — JACK!!! Te achei Moleque. Agora Você Vai Pagar.— 

Só que ao olhar para trás com Uma cara Apavorada Jack Grita.  — Irmaaaa Atrás de Você.— E ao se virar lentamente, a irmã se depara com uma criatura enorme de pele cinza-escuro com vários ossos expostos em seus braços, uma pele escamosa e um rosto animalesco.

Enquanto Jack observa, O demônio com um osso, que saia da base do punho, perfura a irmã de cima para baixo., entrando em seu ombro direito e saindo abaixo da costela a esquerda. Em Seguida, levantando seu corpo para cima e a arremessando em uma parede ao lado.

O demônio olha Para Jack com Seus olhos vermelhos e com o rosto ainda sujo de sangue.

Jack tenta correr mais acaba caindo ao tropeçar em Uma Pedra.

Assim o demônio vai para cima do menino que está caído.  E quando estava prestes a empalar Jack com seu Braço. Ele vê um vulto muito rápido passando na sua frente.

E em seguida o Braço do monstro sai voando.

Então, em pé na sua frente, Jack vê um homem que se dirige a ele, porem sem virar o rosto, olhando sempre para frente em direção ao monstro.

— Desculpe garoto, eu não consegui chegar a Tempo.—

Jack nota que o homem está vestindo uma roupa Muito parecida com a dos policiais mais Nas Costas da camisa estava escrito Divisão Celestial, Com uma pele morena e olhos em um tom verde escuro, O homem empunhava uma espada com a lamina toda negra com o punho e cabo ambos de um tom de verde esmeralda.

— O que é divisão Celestial?— Ele pensa enquanto está com uma expressão entre assustado e triste.

O Mostro parte para Cima Do homem que salto para trás desviando de um soco que vinha por cima e acaba acertando o chão criando várias rachaduras na calçada.

Mais ao aterrissar no chão o Homem já pega impulso para frente e com um único movimento retalha o Mostro, que ainda estava de joelho com a mão presa no chão pelo golpe que tinha dado, O matando ele ali mesmo.

Ao olhar Para Jack o homem diz. — Venha Comigo garoto eu vou te levar para Casa.— Porem Jack sai correndo com muitos pensamentos pairando sobre sua cabeça.

— A Irmã sempre me tratou bem, sempre me protegeu quando eu fazia besteira, sempre fez tudo por Mim. E ainda assim quando ela precisou tudo que fiz foi ficar parado e tremendo— E com um olhar de raiva e lágrimas escorrendo em seus olhos.                                     — Nunca Mais.—

Horas depois o velho Mestre estava prestes a fechar a academia quando Jack entra Pela Porta.

— Eu Vim ficar Forte velhote e Você não Vai me dizer Não de novo.— Afirma Jack enquanto se aproxima do velho mestre.

E com um leve sorriso o mestre pensa.             —O olhar dele Mudou.—

—Há Há Você é teimoso em garoto. Tudo Bem Vamos Fazer Um trato. Se você conseguir encostar em Mim Eu treino Você.—

Jack, sem pensar, corre na direção do Mestre e tenta golpeá-lo com Um Soco. Mas apenas dando um Paço para o lado e girando o corpo o mestre desvia.

E no movimento de queda Jack rola e apoia seu pé no chão pegando impulso na direção do mestre que desvia novamente com um pequeno salto para trás.

— Esse garoto é muito ágil para uma criança dessa idade.

Nem parece um humano comum., interessante.— Pensa o mestre enquanto levemente sorri com o canto da boca.

Assim, Jack corre em sua direção e com um grito de raiva ao ter várias lembranças de quando ele e a irmã brincavam no orfanato, ele começa a Ficar estranhamente mais rápido.

O mestre nota uma estranha energia vinda do garoto, que por um segundo some da sua visão.

Porem Jack se move tão rápido que fica sem reação e acaba indo de cabeça na direção do mestre que por sua vez acaba defendendo aquela cabeçada com as duas mãos.  Mas acaba sendo arrastado um pouco para trás, e então o garoto desmaia.

— Que Aura estranha, tem algo diferente nesse garoto.—

Jack acorda minutos depois com o mestre sentado no chão e escorado na parede ao seu lado. — Meu Nome é Arthur, e você garoto. Qual é seu Nome.— Questiona Arthur enquanto segue olhando para frente em direção a sua grande janela de vidro.

— Jack, Meu nome é Jack.— Responde o menino.

Alguns minutos depois, já saindo na porta para fechar a academia.

Jack: —Velhote. Posso fazer Uma pergunta.—

Arthur: —Pode Sim.—

Jack: —Porque você só tem Um Aluno?—

Arthur: —Eu jurei não treinar mais ninguém, Sebastian ia Ser meu Último aluno.—

Jack: —Mais e eu Vai me aceitar ou não velhote.—

Arthur: —Esta Bem. Você venceu pequeno Jack.—

E com um rosto levemente envergonhado.

— Pode não me chamar assim mestre Arthur.—

E assim mais 9 anos se passam e Jack já com 17 anos.

— Vamos nessa Mestre Arthur.—

Porem Arthur o questiona.                                  —Hora do seu teste final, se sente pronto pequeno Jack.—

— Quantas vezes já te disse para não me chamar assim mestre.—

Com um sorriso no rosto, Jack segura firme sua espada.

                                   

                 Fim do Capítulo 01..

Compartilhar: