Bem-vindo

Venha e junte-se a nós

  • Simples para publicar
  • Rápido feedback
  • Compartilhe com o mundo
/

Ou logue usando:

Esqueceu a Senha?

Capítulos (2 de 2) 20 Aug, 2021

2-Se enturmando

Continuando...

Narrador:Kazu fica impressionado com o tamanho da muralha e Rodrick está esperando os guardas abrirem os portões.

Rodrick:Eh!? Gostou tanto assim?

Kazu:Eu nunca vi um lugar tão alto! Dece dar pra ver fora do planeta!

Rodrick:Eh? Pra mim é pequena.

Kazu e os cavaleiros entram lá e vão diretamente para uma espécie de tribubal.

Kazu:Eu estou sendo julgado?

Rodrick:Não se preocupe, o máximo que pode levar é uma multa.

Kazu:Ufa... Espera, eu não tenho dinheiro!

Juiz:Silêncio! Bem, como podemos ver o senhor Shinigi estava em uma área proibida que por leis foi fechada por ser um campo de guerra constante e a prescença de um cívil poderia atrapalhar o exercíto,estou certo?

Rodrick:Sim, pensamos que poderia ser a nação vizinha tendo enviado um espião, mas esse daí mal consegue correr em alta velocidade.

Juiz:Entendo... Senhor Shinigi, poderia me explicar melhor onde fica essa tal terra chamada "Japão"?

Dois homens trazem um mapa gigante com várias nações nele.

Juiz:Aqui são os muros das cidades capitais de Ankhland, te encontramos aqui.

Kazu:(Como eu penssi dá pra ver a muralha do céu! Espera... Esse mapa é limitado a um continente.)Senhor, o Japão não se encontra nesse mapa, quando eu disse que era uma terra distante eu não estava brincando.

Juiz:Hm... Deixe-me ver nesses documentos... A última vez que alguém de fora do continente de Khanz veio até nosso povo foi concedida a ele... Liberdade condicional.

Kazu:Liberdade condicional!?

Juiz:Sim, como não sabemos se você pode ser alguém tentando conquistar essa terra abençoada e salva por Khanz deveremos analisar melhor a situação, mas por enquanto você não vai poder sair desse círculo no mapa, se sair das muralhas pode considerar a si mesmo um criminoso, pois é isso que irá se tornar.

Kazu:Ok!

Kazu é levado pra fora de lá e é deixado em uma praça com várias plantas.

Kazu:Mesmo na capital o terreno é árido... Pelo visto alguns desses caras carregam armas de fogo... E eles parecem estar em guerra... Isso tá mais pra um mundo ciberpunk, olha esses prédios, cheios de parafernalhas.

???:Ei garoto, sabia que é perigoso ficar pensando em voz alta por aí?

Kazu:O quê!?

Kazu se vira e tinha um garoto aproximadamente da idade dele.

Kazu:Ufa, pensei que fosse um ladrão.

O garoto tira o relógio de pulso de Kazu.

???:Não me julgue por ser apenas um adolescente. Prazer me chamo Fenrir.

Kazu:(Fenrir? Não é aquele lobo da mitologia nordica? Espera! Isso pode ser um sinal! Talvez ele seja o stopim pra eu começar uma aventura mágica!)Prazer me chamo Kazu.

Kazu pega o relógio e coloca de volta.

Narrador:Fenrir é um garoto de cabelos negros e pele bronzeada.

Fenrir:Ei cara, essa roupa parece ser quente, como você usa ela em um deserto?

Kazu:(Espera! Eu tô de moletom dês de que cheguei e ainda não senti calor...)Sabe que eu não sei...

Fenrir:Hm... Você parece um cara duro estou certo?

Kazu:Sim.

Fenrir:Tem bastante tempo livre não é?

Kazu:Sim.

Fenrir:Que tal me fazer um favor? Em troca te dou 300 gladiuns.

Kazu:... E isso é equivalente a?

Fenrir:Você não sabe!?

Kazu:Eu sou estrangeiro, não faço ideia de como vocês usam o seu tipo de moeda.

Fenrir:Hm... Então você além de estar precisando de uma grana não deve ter moradia fixa, acho que vou ter que aumentar pra 500 gladiuns.

Kazu:Você ainda não me disse o quão equivalente isso é.

Fenrir:Ah é, com 10 gladiuns daria pra você ficar umas 3 noites no hotel, com 100 daria pra você comprar um cavalo, e com 500 você poderia comprar uma casa.

Kszu:Isso tá meio desequilibrado...

Fenrir:Os hoteis gostam de estorquir os turistas.

Kazu:Hm... Espera, se você vai me dar dinheiro pra comprar uma casa eu tô até com medo do que você vai me pedir!

Fenrir:Não se preocupe, a segunda melhor tecnologia do continente ajuda pra aqui ser o terceiro lugar com melhor economia do continente de Khanz.

Kazu:Hm... Bem, eu não sou obrigado a aceitar mesmo, manda bala.

Fenrir:Me ensine a usar Magia!

Kazu:(Tanta coisa pra esse muleke me pedir e ele vai pedir isso? Eu nem sei como funciona magia aqui...)Eu... Não... Sei?

Fenrir:... Porra. Então... Esse seu relógio de pulso.

Kazu:Meu relógio de pulso?

Fenrir:Do que ele é feito?

Kazu:Metal, oras.

Fenrir coloca a mão na cara de tanta burrice.

Kazu:Ahh... Ele é feito prata.

Fenrir:... Você por acaso daria o seu relógio pra em troca nós 2 aprendermos magia?

Kazu:TAMO ESPERANDO O QUÊ!?

Fenrir dá um tapa na cara de Kazu.

Fenrir:NÃO GRITE NA MINHA CARA SER INSOLENTE, RECONHEÇA SEU LUGAR.

Kazu olha com uma cara de confuso.

Fenrir:Releva, releva...

Fenrir leva Kasu até uma espécie de biblioteca.

???:Bem vindos a biblioteca pessoal de Ankhland! Temos livros exclusivos além dos melhores tomos de magia do- Ah é você...

Fenrir:Sim sou eu. Por sinal, isso daria uma boa propaganda no rádio velhote.

Bibliotecário:Isso deveria ser um elogio mas não consigo perceber a parte do elogio nisso.

Fenrir:Não importa, não importa. O que importa é que eu vim aprender magia!

Bibliotecário:Vai sonhando, não ensino de novo nunca mais.

Fenrir:Nem mesmo por prata?

O Bibliotecário se vira rapidamente e chega muda o tom de voz.

Bibliotecário:Onde você conseguiu prata?

Kazu:É tão rara assim prata?

Fenrir:Já tentou minerar prata no deserto? Não, reformulando, já tentou minerar nesse deserto? Nós deveriamos cavar por dias, isso pra encontrar solo não arenoso, imagina pra chegar na camada onde se encontram os metais mais preciosos.

Kazu aponta o relógio para o bibliotecário.

Bibliotecário:Meu santo Khanz! É prata de verdade! Eu finalmente poderei estudar magia sagrada, ahahahahaha!

Kaxu e Fenrir começam a olhar com uma cara de estranho.

Bibliotecário:Aham, aham, aham. Vou preparar uma sala que impeça que vocês destruam alguma coisa enquanto eu vós ensino.

Fenrir:Ok. Aqui estão os 500 gladiuns.

Kazu:Wow! São como... Chips de computador?

Fenrir:Não faço ideia do que é mas provavelmente sim. Bem, ele vai encantar uma sala pra a gente aprender magia, aí tu aproveita e compra umas roupas, vai ficar óbvio que você é imigrante, e a cidade adora se aproveitar de pessoas assim.

Kazu vai embora e chega em uma loja de roupas.

Kazu:Essa camisa... Essas bermudas... Tênis leves para areia e esse manto que ru achei foda.

Atendente:Deu 5 gladiuns.

Kazu se veste e vai embora.

Kazu:(Agora que eu parei pra pensar esse tal de Fenrir... Ele não parece ser um NPC... Na verdade ninguém parece, ainda não alareceu uma interface tipo de vídeo game... Acho que apesar disso ser um mundo de fantasia isso funciona assim como o meu mundo, então devo tratar cada um deles como alguém da vida real.)

Kazu chega lá e a sala já está pronta.

Bibliotecário:Entrem aí, eu estou com pressa para analisar aquela prata!

Todos entram lá e começam a se preparar.

Bibliotecário:Agora, lutem.

Fenrir:O quê?

Bibliotecário:Apenas obedeçam!

Fenrir tenta desferir um golpe na cara de Kazu e erra, Kazu então revida com uma voadora porém também erra, até que os 2 tentam dar um soco e um bate na cara do outro.

Kazu e Fenrir:AI!

Bibliotecário:Vocês sentiram?

Fenrir:A dor? Sim.

Bibliotecário:Não! A anima!

Kazu:Anima?

Bibliotecário:Uhh... A magia é composta por 3 energias, energia vital:Anima. Energia espiritual:Spectro, e energia mental:Esper. A magia é composta pelas 3, apesar de algumas magias aparentam usar as 2 primeiras a terceira delas é essencial para o conhecimento de saber usar ela.

Fenrir:Então você estava aquecendo nossos corpos para que eles ficassem menos molengas para usarmos nossa energia vital?

Bibliotecário:Exato. Agora, meditando!

Fenrir e Kazu se ajoelham, fazem sinais de mão e começam a meditar.

Bibliotecário:Não assim!

Kazu:Então como?

Bibliotecário:Aquele alvo ali, pense nele, se foque nele, pense que ele está prestes a te atacar e não o contrário, pense em cada movimento possível, e apenas... Libere.

Fenrir:Liberar?

O Bibliotecário pega uma bengala e bate na cabeça de Fenrir.

Bibliotecário:Você ficou meses me pedindo isso! Agora obedeça!

Fenrir e Kazu ficam cerca de 20 minutos ali apenas pensando naquilo.

Bibliotecário:Hm... Já basta.

Kazu:Uhh, uhh, nunca pensei que iria ficar cansado de fazer nada.

Bibliotecário:Hora do treinamento espiritual. Pense que tem alguma alma na sua frente, então tente interagir com ela, após isso foque na sua própria, não pense que você vive apenas no plano físico ou no mental, você é mais, você vive no plano espiritual...

Kazu:(Eu... Estou sentindo algo...)

Bibliotecário:E então... BOOOM!!!

Kazu:Ahhhhhh! Vai assustar outro!

O Bibliotecário aponta pra frente.

Bibliotecário:Nada do que faço é inútil.

Quando todos olham tem uma pilha de gelo lá.

Kazu:Gelo!?

Bibliotecário:Essa é a magia que você liberou aparentemente.

Kazu:Wow!!! (Ótimo! Agora eu finalmente aprendi!)

Fenrir:... Eu tive o susto, então por quê eu nao liberei a minha magia?

Bibliotecário:Olha dentro do Gelo do Kazu.

Quando eles olham melhor tem uma espécie de sombra lá dentro.

Fenrir:Magia das sombras!? Legal!!!

Bibliotecário:(Pra ser mais exato é magia negra... Porém acho que revelar isso pro garoto agora poderia fazer ele tentar algo maior do que consegue.)

Kazu:Muito obrigrado velhote! Qual o seu nome!?

Wendell:Wendell, pode me chamar de Wendell o poderoso.

Kazu:Eu hein, tu é só um velho caquétic-

Wendell começa a apontar uma bengala pro pescoço de Kazu.

Kazu:A- muito obrigada Wendell o poderoso! Agora tchau!

Kazu e Fenrir saem dali.

Wendell:Um garoto com magia negra... Isso não é algo exatamente incomum mas pra alguém que acabou de descobrir a propria magia... E aquele garoto, ele era estranho, ao mesmo tempo que parecia saber tudo parecia saber nada... Além disso quando ele liberou aquela magia de gelo eu não senti a magia saindo 100% dele... Ah Wendell, desse jeito aquele garoto vai estar certo, você está se tornando velho e caquético.

Enquanto isso no meio da rua.

Kazu:Muito obrigrado Fenrir, graças a você eu aprendi magia.

Fenrir:Não eu que agradeço.

Kazu:Nããããoooo, eu que agradeço.

Os 2 continuam a apertar as mãos como retardados por não souberem o que dizer.

Kazu:Bem, acho que vou procurar um lugar pra dormir... O que você vai fazer Fenri-

Quando Kazu se toca Fenrir estava em cima de uma cavalo rodeado de soldados.

Kazu:O que!?

Fenrir:Desculpa, eu adoraria testar minhas novas habilidades com você mas o principe de Ankhland tem mais o que fazer.

Kazu:P-P-Principe!!!? (Tá de brincadeira, ele parecia um morador de rua!!!)

Fenrir:Ah, sei lá, vai no castelo se quiser saber mais, arivederci.

O cavalo começa a correr em alta velocidade.

Kazu:... Esse dia foi louco.

Aqui o capítulo acaba.

Compartilhar: